Copo 200 ml
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafa 300 ml
Água mineral natural com gás
Saiba Mais
Garrafa 300 ml
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafa 510 ml
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafa 510 ml com gás
Água mineral natural com gás
Saiba Mais
Garrafa 510 ml Sport
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafa 1,5 L
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafão 5 L
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafão 7 L
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafão 10 L
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais
Garrafão 20 L
Água mineral natural sem gás
Saiba Mais

ÁGUA MINERAL IBIRÁ, pura e cristalina, é cuidadosamente captada do subsolo das Termas de Ibirá, local reconhecido há muitos anos pela ação terapêutica de suas águas minerais.

O subsolo tem predomínio de rochas basálticas, o que enriquece naturalmente suas águas. A combinação flúor-carbonatos-vanádio, a presença de sulfatos e o pH alcalino fazem da Água Mineral Ibirá uma dádiva da natureza, com sabor característico.

COMPOSIÇÃO QUÍMICA
Estrôncio0,027 mg/L
Cálcio0,614 mg/L
Potássio0,500 mg/L
Sódio94,100 mg/L
Vanádio0,087 mg/L
Sulfato39,26 mg/L
Carbonato79,82 mg/L
Bicarbonato33,77 mg/L
Fluoreto0,45 mg/L
Nitrato0,31 mg/L
Cloreto0,33 mg/L
Brometo0,02 mg/L
A Água Mineral

O ser humano apresenta uma complexidade de reações químicas, determinadas pelo meio ambiente. As células, órgãos e sistemas reagem, com diferentes graus de manifestações, às agressões provenientes da poluição, dos alimentos contaminados e das emoções. Além disso, o álcool, fumo, stress, radiações e medicamentos tóxicos provocam intensas reações químicas, com formação excessiva de radicais livres, afetando o funcionamento das células e com repercussão nos órgãos e sistemas.

As análises ortomoleculares avaliam o desequilíbrio celular, causa de inúmeras doenças e de processo de envelhecimento acelerado.

Águas minerais se diferenciam de outras águas pelo teor de sais e elementos, sendo considerada matéria viva.
No Brasil, para que uma empresa possa efetuar prospecção e comercialização, ela deverá obter um Alvará de Exploração de Lavra expedido pelo DNPM, órgão subordinado ao Ministério de Minas e Energia, e registrá-la no Ministério da Saúde.

Características Físico-Químicas

pH a 25 °C: 10,15
Temperatura da água na fonte: 24,5 °C
Condutividade elétrica a 25 °C: 442 µS/cm
Resíduo de evaporação a 180 °C calculado: 278,00 mg/L
Classificação: Água Mineral Fluoretada Vanádica

Empresa de Mineração Alvará nº 15 de 06/01/70
Portaria de Lavra nº 1262 de 06/09/82
ANÁLISE LAMIN/CPRM-SP nº 130 DE 17/07/14
Processo nº 3.244/59 - DNPM

NÃO CONTÉM GLÚTEN

Referências

DID, P.; GARCIA, L. O. Valoración Catalista de Vanádio en Orina y en Áhua Mineral. Vior Laboratório de Analisis de Trazaz, Departamento de Quimica lorgânica Analitica y Quimica Fisica, Faculdad de Ciências Exactas y Naturales, Universidad de Buenos Aires, Ciudad Universitária Pableon 2, 1428, Buenos Aires. ACTA BIOQUÍMICA CLINICA LATINO AMERICANA Vol. XX, nº 2, 163 - 175, 1986 Incorporada al Chemical Abstract Service, Código Bibliográfico : ABCLDI - Pág. 163, 164 e 165

OLSZEWER, E. Radicais Livres Em Medicina. 2º ed. Fundo Editorial BYK.

PUPO, J. de A. Águas Vanádicas de Ibirá e suas Propriedades Terapêuticas. Revista Paulista de Medicina. Abril, 1974, 4. Fox, IH e Kelley, WN Management of gout. Jama 242, 361. 1979.

PUCCAMP (1994). Revista de Nutrição. Campinas, n. 7, p. 148-172, jul-dez.

Folha de São Paulo. Cotidiano. São Paulo, 8 abr. 1996.

Componentes

Carbonatos e bicarbonatos
Os bicarbonatos, presentes na água mineral Ibirá, tem um efeito digestivo benéfico, extremamente acentuado. Os carbonatos e bicarbonatos aparecem na composição química da água, na proporção de 113,59 mg/L.

Flúor
A quantidade ideal de flúor na água é de 0,7 a 1,2 miligrama por litro. O flúor, substância usada, por exemplo, nas pastas de dente, pode prevenir osteoporose, sugere estudo da Universidade Saskatchewan (Canadá). O estudo comparou dois grupos de mulheres entre 18 e 24 anos. Mulheres que bebiam água fluoretada tiveram um aumento de 11% na densidade óssea. Osteoporose, comum após a menopausa, causa uma redução da densidade óssea, favorecendo fraturas.

Do ponto de vista nutricional, o desenvolvimento e manutenção adequados do sistema ósseo depende de um aporte de nutrientes abrangentes, integrados e planejados. Não se deve mais pensar que intervenções corretivas ou preventivas sempre possam ser implementadas puramente na base de cálcio, fósforo e vitamina D. Não é possível atender somente à ingestão total de cálcio sem se levar em conta o fator disponibilidade. A contribuição dos elementos (íons) de magnésio, flúor, zinco, manganês, cobre, boro, silício e vanádio, não deve ser negligenciada, por mais que em épocas passadas esses minerais tenham sido ignorados. A osteoporose ainda representa um problema de difícil solução.

Sulfatos
Os sulfatos produzem um sabor característico, e podem ter um efeito laxante se consumidos em grande quantidades, principalmente se associados ao magnésio.
A água de Ibirá é rica em sulfatos e possibilita uma melhor absorção de cálcio pelo organismo.

O pH
O acúmulo de ácido úrico nas vias urinárias e a consequente formação de cálculos (pedras) pode ser efetivamente controlada em pacientes de alto risco pela alcalinização da urina, mantendo o fluxo urinário.

Vanádio
O vanádio cuja etmologia vem de Vanadi's, deusa da mitologia escandinava, foi descoberto por De Rio em 1801 e por Sefstron em 1830, estando presente na ordem de 0,02% da crosta terrestre. Somente em 1974 foi estabelecido o papel do vanádio para manter o equilíbrio no estado de saúde, participando de diferentes processos metabólicos necessários à formação de energia, agindo como cofator ou ajudando a acelerar as reações no metabolismo dos carboidratos e das gorduras, fortalecendo ossos e dentes.

Para sua absorção utiliza os mesmos meios de transporte que o ferro. Foram realizadas diversas pesquisas sobre a bioquímica do Vanádio, no metabolismo dos lipídeos, e constatou-se a redução da síntese do colesterol no fígado. Existem evidências de que sua ação é mais efetiva quando o nível de colesterol é mais elevado ou quando sua síntese está anormalmente elevada.

No metabolismo do ferro, o vanádio promove sua distribuição e auxilia a sua correção mais rápida nas anemias carenciais quando utilizado em conjunto com sulfato ferroso. Além disso, o vanádio favorece a mineralização dos ossos e dentes, provavelmente devido à troca do fósforo na molécula de apatita (fosfato de cálcio com flúor), conduzindo ao endurecimento da apatita e estimulando a mineralização da dentina, podendo exercer um efeito protetor contra as cáries.